quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Porque, por que, porquê, por quê

As palavras acima causam muita confusão. Não é raro vermos textos e redações em que essas palavras aparecem de forma incorreta. Vamos ver os casos em que cada uma delas é usada.

“Por que”:

1) É utilizada no início de frases interrogativas ou quando, depois dela, fica subentendida a palavra motivo ou razão.

“Por que” você saiu mais cedo?

Vou contar-lhe “por que” [razão]
voltei.


2) É utilizada quando pode ser substituída por pelo qual e suas variações.

A causa “por que” lutamos é nobre. (A causa pela qual lutamos é nobre.)

São muitas as privações “por que” ele tem passado. (São muitas as privações pelas quais ele tem passado.)


“Por quê”:

1) É utilizada no final de frases interrogativas ou quando, depois dela, fica subentendida a palavra motivo ou razão.

Você saiu mais cedo “por quê”?

Ele voltou mais cedo, mas não nos disse “por quê” [razão].



“Porque”:

É utilizada em frases afirmativas e em respostas. Pode ser substituída por pois ou como.

Não fui ao cinema “porque” [pois] queria dormir.

“Porque” [como] jogava mal, ia para o gol.



“Porquê”:

É utilizada com o significado de motivo ou razão, sempre precedida de artigo ou pronome.

Ninguém sabe o “porquê” [o motivo] de sua tristeza.

Ela não nos deu um “porquê” [um motivo] coerente para abandonar os estudos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário